Área do Associado   ÁREA DO ASSOCIADO Seta área do associado

Carcinomas Invasores da Mama

Atualizado em 24/04/2020

Os carcinomas invasivos da mama constituem um grupo heterogêneo de lesões, sendo diferenciados através das suas manifestações clínicas, radiográficas, histopatológicas, moleculares e potencial biológico. A classificação mais utilizada atualmente é da Organização Mundial de Saúde e se baseia no padrão de crescimento e nas características citológicas das células tumorais invasivas (Tabela 1).


1.Carcinoma invasivo de tipo não especial; Carcinoma ductal invasivo

2.Carcinomas invasivos, tipos especiais

2.1. Carcinoma lobular invasivo

2.2. Carcinoma tubular

2.3. Carcinoma cribriforme

2.4. Carcinoma mucinoso

2.5. Carcinoma com achados medulares

2.6. Carcinoma com diferenciação apócrina

2.7. Carcinoma com diferenciação em célula sem anel de sinete

2.8. Carcinoma micropapilífero invasivo

2.9. Carcinoma metaplásico

2.10. Carcinoma inflamatório

2.11. Carcinoma de mama bilateral e não sincrônico

3. Tipos raros

3.1. Carcinoma com achados neuroendócrinos

3.2. Carcinoma secretor

3.3. Carcinoma papilífero invasivo

3.4. Carcinoma de células acinares

3.5. Carcinoma mucoepidermoide

3.6. Carcinoma polimorfo

3.7. Carcinoma oncocítico

3.8. Carcinoma rico em lipídeos

3.9. Carcinoma de células claras rico em glicogênio

3.10. Carcinoma sebáceo

3.11. Carcinoma do tipo glândula salivar / anexo cutâneo


Abaixo falaremos um pouco dos principais subtipos de carcinomas mamários.


CARCINOMA INVASIVO DE TIPO NÃO ESPECIAL; CARCINOMA DUCTAL INVASIVO


O tipo histológico mais comum do câncer de mama invasivo é o carcinoma ductal invasivo, também chamado de carcinoma invasivo de tipo não especial (SOE), representando 40 a 75% dos carcinomas mamários dependendo da série avaliada, sendo o seu diagnóstico feito por exclusão, pois ele não apresenta nenhuma característica para classificá-lo dentro das outras categorias de carcinoma mamário.Raramente ocorre em mulheres antes dos 40 anos. Eles se manifestam comumente com massa palpável e/ou com alterações nos exames de imagem com margens espiculadas. Macroscopicamente se caracterizam por uma massa endurecida com superfície branco-acinzentada ao corte (Figura 1).


Microscopicamente as células neoplásicas formam cordões, grupos irregulares de células, geralmente coesas entre si, além de trabéculas. O citoplasma é abundante e eosinofílico, os núcleos variam entre regulares e uniformes a pleomórficos, com nucléolos proeminentes. As mitoses podem ser inúmeras ou escassas, assim como as microcalcificações e a necrose.


O prognóstico do câncer ductal invasivo varia de acordo com o tamanho do tumor, grau histológico, comprometimento ou não dos linfonodos, presença de invasão angiolinfática, expressão de receptores hormonais e de HER2.


CARCINOMA LOBULAR INVASIVO


Por definição esse tipo de carcinoma invasivo é caracterizado microscopicamente por células não coesas entre si, infiltrando o estroma, formando um padrão de fila indiana, sendo assim em até 85% deles há perda da E-caderina, que é responsável pela adesão celular, 70 a 95% apresentam receptores hormonais positivos e negatividade para HER2 (Figura 3).


Representam 5 a 15% dos carcinomas mamários, em muitos casos são tumores multicêntricos e bilaterais, macroscopicamente se apresentam como uma massa tumoral mal delimitada e irregular, sendo assim, no exame físico podem se manifestar apenas como um espessamento, sem margens distintas (Figura 4). Assim como, os achados mamográficos podem ser sutis, podendo o tamanho do tumor ser subestimado.



Uma peculiaridade desse tipo de tumor são a maior propensão a dar metástases para leptomeninges, superfície peritoneal, retroperitôneo, trato gastrointestinal e órgãos reprodutivos.


CARCINOMA TUBULAR


O carcinoma tubular é um tipo especial de câncer de mama que tem baixo potencial de metastatização e com excelente prognóstico. Representa 2% dos casos de carcinoma mamário, atualmente 50 a 70% deles se manifestam por alteração mamográfica em mulheres da sexta década de vida. Microscopicamente são caracterizados pela presença de estruturas tubulares neoplásicas, com lúmens bem nítidos e revestidos por única camada de células sem células mioepiteliais circundantes. São fortemente positivos para receptores hormonais, geralmente não apresentam expressão de HER2 e possuem uma baixa proliferação, sendo assim pertencem a categoria de Luminal A.


CARCINOMA MUCINOSO


O carcinoma mucinoso também é conhecido como carcinoma colóide devido a grande produção de mucina extracelular, as células tumorais geralmente estão aglomeradas em poças de mucina (Figura 5). As células tumorais geralmente possuem baixo grau nuclear. É outro tipo especial de câncer de mama com excelente prognóstico, corresponde a 2% dos carcinomas mamários.


Existe dois tipos de carcinoma mucinoso: tipo A que também é chamado de clássico, pois microscopicamente se apresenta com lagos de mucina, com células tumorais de baixo grau de atipia e baixo índice de mitose; e o tipo B se apresenta hipercelularidade e com grandes grupos celulares, podendo apresentar diferenciação endócrina, incluindo imunorreatividade de cromatogranina ou sinaptofisina.As manifestações clínicas se apresentam na sétima ou no início da oitava década de vida, se apresentam na mamografia como massas tumorais definidas ou lobulares. Macroscopicamente possuem aparência típica, são gelatinosas e moles.

Dra. Andressa Gonçalves Amorim
Mastologista do Hospital Pérola Byington – Centro de Referência da Saúde da Mulher

Sub-Investigadora do Centro de Pesquisa Clínica do Hospital Pérola Byington